Projeto Missões Urbanas

Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.
Mc 16:15-16

Fomos chamados para dar, não para pedir. Portanto, não tenho desculpas diante de Deus para dizer: Não Posso.

Uma das últimas recomendações de Jesus foi para pregar o evangelho a toda criatura. Esta ordem de Jesus deixa muito claro o seu propósito para a igreja: pregar, evangelizar, anunciar a todos os povos a salvação em Cristo Jesus.

Deus quer que a igreja seja missionária, que façamos missões e que cumpramos esta difícil, porém necessária tarefa de levar o maior número possível de pessoas a conhecer Jesus.

Como temos exercido o nosso dever de evangelizadores? O que você tem feito pelo crescimento do Reino de Deus? Como você tem se envolvido com a obra missionária?

Gostaria de compartilhar dois vídeos importantes sobre o assunto. O primeiro é a História do Pastor Zapatta. Um exemplo de humildade, fé e de responsabilidade com a obra de Deus. Este vídeo me fez lembrar de Jó. Suas palavras são sérias e nos faz refletir sobre a nossa responsabilidade diante de Deus.

Contatos (11) 5662-7946 96652-0506

EVANGELISMO AOS MORADORES DE RUA

Loading...

Evangelismo em Presídios e Hospitais

Loading...

Doações: 11 5662-7946

Doações: 11  5662-7946

Objetivo da equipe de evangelismo:

Levar as pessoas encarceradas nos presídios e delegacias o tão grande amor de Deus através da visitação da equipe de evangelismo e também com a ministração da poderosa Palavra de Deus; acompanhada de poderosa oração e aconselhamento pessoal, sabendo que o Senhor Jesus tem por objetivo alcançar estas vidas dando a elas a oportunidade de conhecer melhor o Reino de Deus através das ações dos evangélicos.

Conclusão:

Uma vez sendo aplicado o exercício de visitação da equipe; temos a convicção de que Deus sem dúvidas estará levando através da Sua Palavra a oportunidade de uma libertação espiritual total, pois entendemos que estamos dando continuidade no ministério glorioso de Jesus. (LC 4-19)

Este trabalho também tem gerado um grande beneficio aos agentes penitenciários. Muitos policiais e agentes têm testemunhado que, ao realizarmos os cultos para os presos eles tem se mostrado mais calmos e menos violentos.

Portanto, a sociedade de um modo geral seja evangélica ou não, só tem a se beneficiar com esse trabalho, pois, uma vez que um detento se converte e é exposto a um novo ensinamento, ele se vê tendo a oportunidade de levar uma vida transformada e digna longe do ambiente de violência e criminalidade em que vivia. Gerando assim, uma sociedade mais calma e tranqüila para todos.

Por: Patrícia Costa.

REALIDADE DAS RUAS

REALIDADE DAS RUAS

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

MISSÕES, A BATIDA DO CORAÇÃO DA IGREJA

 Projeto abençoado por Deus

Morador de rua recebendo Oração

Pastor Claudinei Rogério servindo o alimento ao morador de rua

Patrícia Costa Ministrando a Palavra de Deus

Pastor Claudinei Rogério

Missionária Simony e Irmã Elivânia

Homens valentes na Obra de Deus



Ex morador de rua.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMPAREÇA!

COMPAREÇA!
E RECEBA A SUA VITÓRIA.
Ocorreu um erro neste gadget

Translate

Loading...

História do Pastor F. Zapata

Loading...

Seguidores

A OBRA NÃO PARA

A OBRA NÃO PARA

Os objetivos da evangelização

Aonde recorreremos para obter conselho e instrução acerca da obra de evangelizar o mundo? A comissão apostólica é o ponto de partida. Isso porque ela contém as ordens que Jesus deu aos seus apóstolos escolhidos ao enviá-los ao mundo. Ela apresenta a vontade dele — o que o Senhor de todo o universo queria ver executado no mundo. Embora não sejamos apóstolos, se somos encarregados de alguma outra forma das mesmas responsabilidades, então com certeza podemos encontrar nas ordens que Jesus deu aos discípulos o conselho para nos orientar.

Gostaria de examinar os vários relatos dessas ordens, dadas no decorrer de 40 dias (veja Atos 1:3), para ver o que se pode aprender. Diferentes textos expressam dessa ou daquela forma essas ordens, ressaltando esses ou aqueles aspectos. Mas me parece que as ordens de Jesus podem ser dispostas em três categorias. O que Jesus queria que se fizesse?

O relato de Mateus mostra uma coisa: "Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações..." (Mateus 28:19). A Versão Revista e Corrigida traz "ensinai", mas a palavra grega não é o termo para "ensinar" usado mais tarde no texto. A Versão Revista e Atualizada (2ª Edição) corretamente troca o primeiro "ensinai" por "fazei discípulos". Então, era isso que Jesus queria que se fizesse — ele queria que as nações entrassem num relacionamento pessoal com ele; queria que se tornassem seus discípulos.

Marcos 16:15-16 apresenta o segundo elemento: "Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura". Jesus queria que o evangelho fosse pregado em todo o mundo.

O relato de Lucas (24:44-49), na verdade, não acrescenta nenhuma outra categoria principal. "Arrependimento para remissão de pecados"como o assunto da pregação é apenas uma expressão alternativa da essência do evangelho. As boas novas dizem respeito ao"arrependimento para remissão de pecados". A forma de expressão de Lucas em geral, no entanto, sugere outro ponto ao qual retornarei adiante.

O registro de João contém um relato do envio dos apóstolos (João 20:21-23), mas também aqui não apresenta nenhuma categoria nova. Os apóstolos tinham a autorização para perdoar ou não os pecados —basicamente, declarar as condições para o perdão dos pecados— mas Marcos 16:16 e Lucas 24:47 já mostraram quais pessoas seriam perdoadas e quais não, pelas condições estipuladas por Cristo. Se quiser mais, consulte a pregação dos apóstolos em Atos (Atos 2:38; 3:19; etc.).

A seção de abertura de Atos sobrepõe-se ao desfecho de Lucas e também se refere à incumbência apostólica. Atos 1:8 acrescenta ainda outra categoria: "...e sereis minhas testemunhas...." Não somos, naturalmente, testemunhas como eram os apóstolos (Atos 1:3,21-22). Contudo, se pretendemos realizar a tarefa de evangelizar o mundo atual, devemos estar preparados para enfrentar um mundo incrédulo com o testemunho dos apóstolos no que se refere à ressurreição de Jesus Cristo. Era esse testemunho que deveria levar o mundo a crer (João 17:20; 20:30-31; Romanos 10:17).

Desse modo, para resumir, se você deseja usar os seus talentos a serviço do evangelho, você não precisa saber tudo no mundo. Mas deve ser capaz de explicar o discipulado e fazer discípulos das pessoas. Você precisa compreender o caminho da salvação apresentado no evangelho e ser capaz de explicá-lo. E deve ser capaz de apresentar a defesa que os apóstolos fizeram a favor da ressurreição. Esse resumo, pelo menos, estreita o terreno e mostra as áreas em que o preparo precisa ser feito. Eu lhe direi o que sei sobre essas três categorias em alguns dos artigos que se seguem.

Mas deixei fora dois pontos. Embora não pudessem ser chamadas "ordens" de Jesus, são, na verdade, questões importantes que formam o fundamento da comissão e a tornam inteligível. Além disso, mostram outras áreas de preparo que podem ser úteis.

A primeira é a autoridade do Messias (Mateus 28:18). Quem é esse que dá ordens às pessoas e exige que obedeçam a tudo o que ordena? É o Senhor de todo o universo, que detém toda autoridade, no céu e na terra. Normalmente trabalho com esse aspecto ao mesmo tempo que faço a defesa da ressurreição que demonstra que Jesus era (e é).

Depois observe que o relato de Lucas não trata a comissão como uma ordem, mas a incorpora numa explicação sobre o que está escrito no Antigo Testamento (Lucas 24:44-47). Tanto o sofrimento, a morte e a ressurreição do Messias quanto a pregação de arrependimento e remissão se mostram a serem cumprimento do Antigo Testamento. Isso denota a idéia de um propósito divino, um supremo e "eterno propósito" (Efésios 3:11), e me parece indicar outra área em que devemos nos preparar se quisermos tornar o cristianismo inteligível aos nossos alunos.

Pastor Claudiney

Pastor Claudiney

EVANGELISMO

EVANGELISMO

DEUS AGINDO

DEUS AGINDO

AR LIVRE

AR LIVRE

A volta de Jesus está condicionada a obra missionária?

Quem é Jesus?

Jesus não é apenas um personagem histórico importante, também não é alguém para ser lembrado apenas em datas comemorativas, como seu nascimento e sua morte. Jesus é o nome que dividiu a história em antes e depois dele.

Jesus é o filho de Deus que se fez homem e morreu na cruz do calvário para nos dar a oportunidade de alcançarmos a salvação de nossas almas. A morte de Jesus foi um gesto de amor e misericórdia e por mais que o homem tente não vai conseguir entender a dimensão deste amor.

Com base na bíblia, podemos afirmar que Jesus é:

O salvador da sua alma. Basta você crer e aceitá-lo como seu Senhor e salvador.

[ João 3:16 - Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. ]

Aquele que pode te libertar dos vícios e curar doenças do corpo e da alma. Pode te abençoar e transformar completamente sua vida e a vida de toda sua família.

[ Mateus 11:28 - Vinde a mim, todos os que estai cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. ]

Mas também é aquele que tem o poder de lançar no inferno todos aqueles que recusarem a crer.

[ Lucas 12 4-5 Digo-vos, amigos meus: Não temais os que matam o corpo, e depois disso nada mais podem fazer.

Mas eu vos mostrarei a quem é que deveis temer; temei aquele que, depois de matar, tem poder para lançar no inferno; sim, digo, a esse temei. ]

Jesus está vivo e é o único caminho que poderá conduzir o homem até a vida eterna, não há intermediários nem intercessores, creia apenas porque a salvação só existe em Jesus.

Muitas coisas mais podemos afirmar sobre Jesus, procure conhecê-lo melhor, pois ele conhece todas as suas ações, sejam elas boas ou más, conhece seus pensamentos, suas vontades e seus desejos.

Hoje, ele está te oferecendo uma oportunidade que não deve ser desprezada, a oportunidade de conhecê-lo e aceitá-lo como o salvador de sua alma.

Pense nisso e não deixe para amanhã a salvação que está sendo oferecida agora.

Que Deus lhe abençoe.

A importância do Evangelismo e a distribuição do Sopão

A importância do Evangelismo e a distribuição do Sopão
Você que tem um grande chamado una-se ao Missões Urbanas.

Evangelismo em Presídios

Segundo as palavras de Jesus Cristo em Hebreus 13.3, quando Ele nos lembra para nos preocupar e empenhar na visitação aos presos, dizendo assim: "lembrai-vos dos presos, como se estivésseis presos com eles, e dos mal tratados, como sendo-o vós mesmo também no corpo".

Com estes ensinamentos, nós entendemos que o Senhor quer alcançar não somente as pessoas enfermas e em tratamentos nas internações hospitalares, mas também, as pessoas que se encontram em regime prisional.

O que é aceitar Jesus?

Você já foi convidado para muitas coisas nesta vida, certo? Para alguns desses convites você disse sim e a outros não. Hoje eu estou fazendo um novo e especial convite para você, aceitar a Jesus como seu Senhor e Salvador!

Mas o que é aceitar Jesus?

Aceitar a Jesus é a expressão usada pelos evangélicos para indicar duas coisas

1º - Aceitá-lo como Salvador

Neste primeiro caso você estará concordando que é pecador, precisa de salvação, que o sacrifício de Jesus na cruz é suficiente para garantir a sua salvação e com isto não necessitará da intervenção ou intercessão de qualquer outro por mais privilegiado que possa parecer.

É um ato de humildade, arrependimento e fé.

2º - Aceitá-lo como Senhor

Neste segundo caso você estará renunciando as coisas deste mundo para servir exclusivamente ao Senhor Jesus. Diz respeito ao plano prático da fé.

Não é uma expressão da boca para fora; também não é apenas ir a uma igreja ou ser chamado de evangélico, envolve uma completa submissão ao nome de Jesus, sua palavra (bíblia sagrada) e a sua vontade.

Ao aceitá-lo como Senhor estamos nos colocando na posição de servo para obedecer a sua palavra e renunciar nossas antigas crenças, costumes, hábitos e comportamentos que nos afastavam do Senhor Jesus.

A bíblia usa o terno nascer de novo, para indicar que há necessidade de morrermos para o mundo e nascer em nova vida para Jesus.

O ato de aceitar Jesus como seu Senhor e Salvador lhe garantirá de imediato a salvação de sua alma e é o único caminho que temos para nos livrar da condenação do inferno e chegarmos ao céu.

O convite está feito, porém, a decisão é exclusivamente sua. Ninguém poderá forçá-lo a aceitar Jesus, até porque é algo que tem de que permanecer até a sua morte ou até a volta de Jesus.

O que achou do convite? Se você ainda não entregou a sua vida para Jesus e quer aceitá-lo agora mesmo, preencha o formulário abaixo e iremos orar por você e pedir ao Senhor para confirmar esta decisão que será a mais importante de toda sua vida.


A Fé que Jesus Procura

: Marcos 7. 24-30

Introdução:

Jesus nos faz uma pergunta intrigante em Lucas 18.8: "... Contudo quando vier o Filho do Homem,achará, porventura, fé na terra?" Que resposta daremos? Onde, em quem, Ele hoje pode encontrar fé? Jesus está procurando fé em nós!

1º A fé que Jesus procura, nem sempre está nos arraiais religiosos. vs 24 e 26
Em muitos acasiões Jesus procurava fé no meio do seu povo mas raramente encontrava, paradoxalmente às vezes era surpreendido pela fé de pessoas fora de Israel, como esta mulher grega sirio-fenícia. Em outra acasião narrada em Mt 8. 5-13, Eele encontra fé num centurião romano e destaca: " Em verdade vos afirmo que nem mesmo em Israel achei fé como esta." vs. 10. Corremos o perigo de nos acostumarmos com a religiosidade e perdermos a sensibilidade da fé. Esta sensibilidade precisa ser aguçada pelo Espírito Santo. Cuidado, Jesus está procurando corações que crêem. A advertência de Jesus em Mt 5. 11 e 12 é esta: Não fique acomodado, não pense que você tem cadeira cativa no cenário da fé, se você não crer Deus levantará outros e talvez sejam pessoas que você ,nunca imaginou que pudessem crer.

2º A fé que Jesus procura, vem de pessoas que ousam a buscá-lo desesperadamente. vs. 24b e 25
O texto ousa em dizer que Jesus "não pôde ocultar-se" , é claro que isto é um expressão antropomórfica, que é por razões literárias-teológicas, atribuir ao divino atitudes humanas. mas poéticamentre podemos dizer: " Ele não pôde" , pois não resiste a um coração quebrantado. Quando o buscamos desta forma o encontramos.
Qual foi a última vez que você buscou o Senhor desta maneira?

3º A fé que Jesus procura resiste as provas. vs. 27 e 28
Jesus provou e provocou aquela mulher, usando uma linguagem aparentemente agressiva,mesmo assim ela não reclama, não tem auto-comiseração, mas insistentemente afirma sua dependência.
Ela não tem uma fé "dodói" , que desiste, se revolta, não! Ela é ousada e argumenta em humilhação e por isto recebe a libewrtação de sua filha.
Jesus pode encontrar este tipo de fé em nós?

4º A fé que Jesus procura, é fé declarativa e profética. vs. 29
Jesus não disse a mulher , por causa do meu poder ( embora fosse), não disse, por causa da tua ousadia (embora fosse) mas disse: " Por causa desta palavra, podes ir o demõnio já saiu de tua filha." vs. 29. O que havia naquelas palavras? Havia confiança que o Senhor é um Deus que faz sobejar, que tem muito mais pra dar do que possamos imaginar. Era uma fé que declarava o amor de Deus, sua providência. Este tipo de fé alcança o coração do Pai!

Conclusão
Jesus ainda procura, encontrara em você e em mim, este tipo de fé?

Questões para pensarmos:
1. Será que nos acostumamos com a religiosidade, correndo o perigo de vermos outro fazerem aquilo para o qual fomos chamados?
2. Você tem se prostrado e se quebrantado diante de Deus, aoponto Dele"não poder se ocultar de você"?
3. Sua fé resistente, aos "nãos " de Deus?
4. Você tem confessado o poder da Palavra e crido no Deus da Palavra?

Desafio:
Quero ser encontrado em fé!

Ele quer fazer, Ele pode fazer, Ele fará. Mas você precisa crer!
Amém


Patrícia Costa

Faça algo, Esse é o tempo!

Faça algo, Esse é o tempo!
Contatos com Patrícia Costa (11) 6092-6705

Aprendendo a plantar com paciência

E ele disse: “O reino de Deus é assim como se um homem lançasse a semente à terra, depois, dormisse e se levantasse, de noite e de dia, e a semente germinasse e crescesse, não sabendo ele como. A terra por si mesma frutifica: primeiro a erva, depois, a espiga, e, por fim, o grão cheio na espiga. E, quando o fruto já está maduro, logo se lhe mete a foice, porque é chegada a ceifa” (Marcos 4:26-29).

Há uma expressão nos Salmos, característica especialmente de Davi, que diz, “Espera pelo Senhor.” “Espera pelo Senhor; tem bom ânimo, e fortifique-se o teu coração; espera, pois, pelo Senhor (27:14). Esta é a mensagem da parábola da semente que cresce, uma parábola que só Marcos nos dá. E porque ele a coloca entre as parábolas do reino que temos estudado, aquelas primeiras que Jesus usou numa sessão de ensinamento junto ao Mar da Galiléia, acrescentamo-la aqui às sete que Mateus registra (capítulo 13). Ela estava provavelmente entre aquelas parábolas que Jesus contou somente aos seus discípulos (Mateus 13:36; Marcos 4:10), e, portanto, tem particular, senão exclusiva, aplicação a eles.

A parábola parece ser tão simples e direta que não precisa de interpretação especial, e Jesus não dá nenhuma, mas tem sido ocasião de considerável discordância. Quem é o semeador? Jesus ou seus discípulos? Quando é a colheita? Dentro do tempo ou no seu fim? Qual processo é ilustrado? O crescimento espiritual do discípulo individual ou o progresso do reino como um todo? Diversos estudiosos reconhecem a dificuldade dessa parábola nos seus comentários.

Provavelmente o problema começa com explicações demais sobre matérias que não são a ênfase da história de Jesus. O foco da parábola não está no semeador ou no campo mas sobre o disciplinado processo pelo qual uma semente (grão) de trigo plantada germina e desenvolve-se até a maturidade por um poder residente em si mesma. Há duas movimentadas estações no crescimento das plantações: o tempo de semear e o tempo de colher. No meio estão os meses de espera paciente por um processo que está além do poder humano para obrar suas maravilhas. Entrementes, o agricultor vai fazer outras tarefas, ocupado no ciclo usual de trabalhar e dormir. O comportamento do agricultor não reflete um ócio despreocupado, mas o simples reconhecimento de que o que acontece agora é trabalho da semente, não do semeador. Há tempos quando a única coisa sensata a fazer é esperar e confiar.

O foco da parábola do semeador estava no solo, a influência do coração no que acontece à semente do evangelho plantada. Na parábola da semente crescendo, o foco se reduz ao bom solo, o bom coração, e o processo pelo qual o evangelho atinge seu propósito numa mente receptiva. A parábola parece ser contada principalmente àqueles que estão semeando a semente do reino e é uma exortação à confiança paciente. Quando os discípulos do Senhor tiverem espalhado diligentemente o evangelho pelo mundo eles precisarão confiar nos resultados do espantoso poder de transformação de Deus que reside na mensagem (Romanos 1:16). E a ausência de resultados imediatos nunca deverá impedi-los de pregar entusiástica e continuamente a palavra de Cristo em todas as ocasiões e em todos os lugares.

Há trabalho para fazermos, mas “a excelência do poder seja de Deus e não de nós” (2 Coríntios 4:7). Então, a Deus seja a glória! Conforme Deus uma vez lembrou a Moisés, não importa muito quem somos; importa lembrar quem é ele (Êxodo 3:10-14). Por esta razão não faz nenhuma diferença se a semente do evangelho é plantada por algum doutor em agricultura espiritual ou por algum santo recém-convertido, a semente germinará e crescerá por si mesma! Como o apóstolo Paulo uma vez observou a alguns cristãos impressionados com pregadores e suas habilidades: “Quem é Apolo? E quem é Paulo? Servos, por meio de quem crestes, e isto conforme o Senhor concedeu a cada um. Eu plantei, Apolo regou, mas o crescimento veio de Deus” (1 Coríntios 3:5-6).

Mas isto não é apenas um problema daqueles que pensam muito orgulhosamente nas habilidades humanas, mas também daquelas almas humildes que ansiosamente se atormentam pela sua própria incapacidade como mestre. Aqui, novamente, precisa ser asseverado que o que acontece com a semente plantada não depende de nossas habilidades ou da falta delas, mas da própria palavra de Deus. Não temos que ficar o tempo todo afinando as coisas, sempre tentando pegar uma linha que pensamos que podemos ter deixado escapar. Precisamos somente dizer aos outros o que Jesus disse, e essa poderosa palavra eterna ficará trabalhando enquanto estivermos dormindo!

Vamos continuar levando a Palavra de Deus

Caro Irmão leitor do Blog MISSUR (Missões Urbanas)
estamos a disposição para visitas em presídios e hospitais.
Você que tem um amigo ou parente necessitando ouvir a voz de Deus contate-nos,
(11) 5662-7946
Estamos a disposição 24 horas por dia.

Informações sobre a Ministração do Evangelho

Loading...

Como saber ouvir tristes histórias de Vida

Como saber ouvir tristes histórias de Vida
Loading...

Faço parte da União de Blogueiros Evangélicos

SEJA UM MISSIONÁRIO (A)

Talvez, você tenha se perguntado: Como assim? Não posso sair da minha cidade!

Ser um missionário, não significa ir em cidades distantes, estados ou outros países pregar o evangelho. Você pode fazer missões, sem sair do seu bairro, ou mesmo da sua rua!

Com certeza, você já orou, pedindo que este Brasil conheça o evangelho, não é?! Mas aí cabe uma pergunta: "Como ouvirão, se não há quem pregue?"

Como podemos orar pela nossa nação, se não falamos do Senhor para o nosso vizinho? Vamos fazer missões!

Anuncie as boas novas para todos os seus amigos, vizinhos e parentes... Você já está fazendo missões! Que você seja abençoado grandemente!